Pular para o conteúdo
Voltar

CGE e TCE planejam auditoria conjunta na folha de pagamento

A finalidade é analisar o desempenho da política de administração de agentes públicos do Estado em relação às normas, à economicidade, ao alcance dos objetivos estratégicos e às melhores práticas de gestão de pessoas da administração pública
Ligiani Silveira | CGE-MT

Controlador-Geral, Emerson Hideki (camisa azul); a partir dele, no sentido anti-horário: auditores Leliane Santana (CGE), Sibele Carvalho (TCE), Marcelo Bussiki (TCE), Jessé Pinheiro (TCE), Osiel Oliveira (TCE) e Mônica Acendino (TCE) - Foto por: Ligiani Silveira - CGE/MT
Controlador-Geral, Emerson Hideki (camisa azul); a partir dele, no sentido anti-horário: auditores Leliane Santana (CGE), Sibele Carvalho (TCE), Marcelo Bussiki (TCE), Jessé Pinheiro (TCE), Osiel Oliveira (TCE) e Mônica Acendino (TCE)
A | A

A Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) vão realizar auditoria conjunta na folha de pagamento do Governo de Mato Grosso. A finalidade é analisar o desempenho da política de administração de agentes públicos do Estado em relação às normas, à economicidade, ao alcance dos objetivos estratégicos e às melhores práticas de gestão de pessoas da administração pública.  

Todas as etapas da auditoria serão desenvolvidas em conjunto: seleção do objeto, planejamento, execução e elaboração do relatório. O trabalho será desenvolvimento com base nas auditorias de conformidade (voltadas à avaliação do cumprimento dos requisitos legais) mais recentes realizadas pela CGE e pelo TCE na área de gestão de pessoas.

“O volume de recursos públicos a ser fiscalizado é grande, mas, quando cada órgão de controle atua sozinho, não consegue ver tudo. Os órgãos de controle precisam unir forças e estar coordenados para evitar retrabalhos. Atuar em rede fortalece a serviço público”, destacou o secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida.

A partir do diagnóstico levantado, a auditoria se voltará também à proposição de medidas de aprimoramento da gestão da folha de pessoal, a maior despesa do orçamento estadual.

“A ideia é fazermos um trabalho mais macro e gerencial, e não somente analisar a conformidade de rubricas específicas, como nas últimas auditorias realizadas na gestão de pessoal”, ressaltou a superintendente de Auditoria Programada da CGE-MT, Leliane Santana.

O cronograma anual de auditoria da CGE já previa a realização de avaliação da eficiência e efetividade das despesas com pessoal do Poder Executivo. No mesmo sentido, o plano de trabalho do TCE. 

Por isso, a equipe técnica do TCE submeteu proposta de atuação conjunta ao corpo deliberativo de gestão do Tribunal. “O colegiado aprovou a proposição, cuja ideia é que o trabalho tenha impacto social relevante”, comentou o secretário de Controle Externo de Atos de Pessoal do TCE-MT, Osiel Mendes de Oliveira.

A auditoria deve funcionar como piloto de atuação conjunta entre o TCE e a CGE. “Será uma iniciativa inédita, de valor público agregado, já que até hoje os dois órgãos não fizeram trabalho em conjunto, do planejamento à produção de relatório, embora já tenham compartilhado dados e informações”, ressaltou a secretária de Métodos e Desenvolvimento do Controle Externo do TCE-MT, Mônica Acendino.