Pular para o conteúdo
Voltar

Seplag e CGE fomentam uso da plataforma BIM nas obras públicas

As ações envolvem treinamentos de servidores públicos para nivelamento de informações sobre a metodologia
Ligiani Silveira | CGE-MT

Capacitação sobre utilização da metodologia BIM (Modelo de Informação da Construção) nas obras públicas - Foto por: Ligiani Silveira - CGE/MT
Capacitação sobre utilização da metodologia BIM (Modelo de Informação da Construção) nas obras públicas
A | A

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e a Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) estão desenvolvendo uma série de ações para fomentar o uso da  plataforma BIM, sigla de Building Information Modeling, cuja tradução livre é Modelagem da Informação da Construção, por órgãos/entidades estaduais. O objetivo é melhorar a qualidade, reduzir custos e prazos para conclusão de obras públicas no Governo de Mato Grosso.

Para o secretário adjunto de Planejamento e Gestão de Políticas Públicas da Seplag, Sandro Brandão, o BIM é uma proposta de inovar em governança corporativa, gestão de planejamento, riscos e conformidade para modelagem da informação no âmbito da construção para melhor produzir, comunicar e analisar projetos de edificação no governo.

“Estratégia como esta não apenas facilita a transformação digital no ambiente da condução dos projetos como também auxilia na dinâmica do trabalho dos órgãos governamentais ao criar um espaço único para o controle e gerenciamento dos dados, evitando erros, inconsistências e perda de registros fundamentais para a administração pública em curto, médio e longo prazo”, destaca.

As ações envolvem treinamentos de servidores públicos para nivelamento de informações sobre a metodologia, a exemplo de capacitação realizada neste mês de maio a engenheiros civis das secretarias de Estado de Segurança Pública (Sesp), de Saúde (SES), de Fazenda (Sefaz), de Infraestrutura (Sinfra) e de Educação (Seduc).

“Trata-se de uma ação conjunta entre Seplag e CGE, de governança de dados, para possibilitar que todas as secretarias trabalhem de maneira uniforme, permitindo que o Estado receba os projetos com os mesmos padrões de qualidade”, observa o auditor da CGE-MT, engenheiro civil André Luiz Costa Ferreira.

Na sequência de treinamentos, a utilização do BIM em projetos de infraestrutura será tema de capacitação do “Programa CGE Orienta - Estado Íntegro e Eficaz” no mês de julho.

“A ideia é fomentar a melhoria da qualidade dos projetos para que possamos realizar o que a população realmente espera da administração pública estadual. Para que isso aconteça, temos de começar a pensar em melhorar os projetos, capacitar servidores e colaboradores, num trabalho conjunto de mudança de cultura”, argumenta o auditor.

As ações de disseminação da implantação de tecnologia envolvem também a elaboração de manual com normas técnicas, guias e protocolos específicos para a adoção do BIM tanto em obras civis (hospitais, escolas etc) e quanto em obras de infraestrutura (rodovias, pontes etc)

Além disso, na estratégia de fomento ao uso do BIM, a Seplag e a Controladoria fizeram um levantamento junto aos órgãos/entidades estaduais quanto às obras necessárias de reforma de prédios públicos que possam ser incluídas no projeto-piloto de implantação da plataforma BIM no Governo do Estado.

“No Poder Executivo Estadual, estamos começando a pensar em BIM na reforma dos prédios públicos, porque já temos o conhecimento da edificação, e o nível de intervenção não é tão grande”, afirma o auditor do Estado.

A tecnologia  BIM permite a criação de projeto de construção compartilhado com informações integradas de design, arquitetura e engenharia em um formato que simula a obra real em 3D, modela a estrutura e todas as fases do empreendimento (projeto, execução,  operação e manutenção pós-obra).

Segundo o auditor da CGE-MT, com a tecnologia BIM, o modelo gerado por computador contém geometria e dados precisos necessários para apoio às atividades de construção, fabricação e aquisição de materiais durante todo o ciclo de vida da obra, permitindo melhor análise e controle do que os processos convencionais.

“O BIM permite não só uma representação gráfica da construção, mas o edifício com todos os seus sistemas construtivos, o que possibilita melhorar a qualidade dos projetos de engenharia e, mais importante, melhorar a manutenção das obras, tanto na parte elétrica, hidráulica e estrutural”, explica.

O uso do conceito BIM está mais avançado na esfera privada. No setor público, já há algumas iniciativas de destaque, com diferentes níveis de maturidade na implantação da tecnologia, a exemplo do Governo Federal, das Forças Armadas e do Governo do Estado de Santa Catarina.