Pular para o conteúdo
Voltar

Falta de presteza no atendimento e uso indevido dos bens públicos são as infrações mais nocivas, aponta enquete

Falta de presteza no atendimento e uso indevido dos bens públicos são as infrações mais nocivas, aponta enquete
CREDSON ALMEIDA E LIGIANI SILVEIRA

A | A

A falta de cortesia e presteza no atendimento ao cidadão, bem como a falta de zelo e o uso indevido do patrimônio público são as infrações cometidas por servidores públicos mais prejudiciais à qualidade do serviço prestado à população. É o que indicou a enquete que ficou no ar por dois meses no site da Auditoria Geral do Estado (AGE-MT).

As infrações mencionadas tiveram 26,25% de votos dos internautas, cada. Em seguida, ficaram a conduta incompatível com a moralidade administrativa, com 18,75%; assédio moral, com 17,50% e falta ao serviço sem justificativa e impontualidade, com 11,25% do votos.

As situações abordadas na enquete correspondem a 70% das infrações funcionais ocorridas no âmbito do Poder Executivo Estadual e são oriundas de culpa (por desconhecimento da legislação) ou de práticas antes toleradas pela administração pública.

A constatação levou a AGE a implantar o Programa de Controle Disciplinar “Você Faz a Diferença”, com o objetivo de orientar os servidores públicos sobre seus deveres e proibições funcionais. Em quase 1 ano de realização da iniciativa, cerca de 10 mil servidores já foram alcançados, direta e indiretamente, pela ação.